[dropcap style=”style3″]E[/dropcap]m alguns lugares, a vacina contra a febre amarela é obrigatória. Não se entra no país, sem estar devidamente vacinado. No meu próximo mochilão pela América do Sul será necessário tomar a vacina, já que a entrada na Bolívia está condicionada à apresentação do comprovante de vacinação. Para conhecer outros lugares que também exigem essa imunização, basta acessar o site da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A febre amarela é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, aquele mesmo maldito que transmite a dengue. Trata-se de um vírus com sintomas variados (febre, cansaço, mal-estar e dores de cabeça e musculares). Pode até acontecer de eles não se manifestarem, o que é mais complicado para identificar a doença. Os efeitos podem ser ainda mais graves como: hemorragias internas, febres altas e hepatite. O nome da doença tem relação com um dos sintomas mais perceptíveis que ela provoca nas pessoas quando o quadro clínico piora: a coloração amarela da pele. Caso não seja tratada a tempo e de forma adequada, pode ser mortal.

Nada de desespero, basta tomar a vacina. Seguem as informações importantes:

1. A vacina deve ser tomada até 10 dias antes da viagem. Se deixar para tomar depois desse prazo, vai se dar mal. Esse prazo foi estabelecido porque é o tempo mínimo para que a substância faça efeito.

2. Além de necessária como documentação, a vacina é uma forma sensata de prevenção para que você não seja vítima de uma doença bem complicada.

3. O prazo de validade da vacina é de 10 anos. Nesse período, pode viajar à vontade para os lugares de risco. Depois, é preciso renovar a imunização.

4. A vacina é aplicada nos postos de saúde da rede Municipal e Estadual. Algumas redes privadas também aplicam a vacina, mas é bom conferir se são reconhecidos pela Anvisa. Não sei se é óbvio para todos, mas vale reforçar: ela é gratuita.

5. O documento que comprova a vacinação tem valor nacional, é aceito em todo Brasil. Para obter o documento com valor internacional, basta se dirigir até os centro especiais da Anvisa. Na maioria dos casos, eles estão presentes nos aeroportos e rodoviárias. O seu documento nacional será trocado pelo internacional. Para saber quais os postos da Anvisa mais próximos da sua casa, basta conferir a lista no site já indicado.

E o mais importante! A injeção leva um segundo e você nem percebe. O famoso papelzinho amarelo, que você vai carregar durante a sua viagem, é esse da foto abaixo.

vacinaamarelapapel


Rafael Cardoso

Carioca da Ilha do Governador, Rafael é formado em Jornalismo. Defende a filosofia mochileira de viagens econômicas, independentes, que respeitam a natureza e as culturas de cada lugar. Adora contar e ouvir histórias desde pequeno. Descobriu que escrever sobre turismo e viagens é uma ótima terapia de vida.

Posts do autor