[dropcap style=”style3″]N[/dropcap]ormalmente, eu comento sobre os lugares de hospedagem em cada relato do dia. Mas achei interessante inaugurar um post específico sobre os lugares onde dormimos nessa viagem, com os detalhes e avaliações de cada um. Acho que pode ser bem útil para quem for fazer uma viagem parecida. Aproveitem e opinem!

BOGOTÁ
Chocolate Hostel (http://chocolatehostel.com/)
Localização: Carrera 4, Calle 13-18. Bairro da Candelária.
Preço: 20 reais.
Quartos: Conforto ok, camas ok. Espaçosos. Um pouco escuros, luz muito fraca. Alguns armários estavam quebrados e não dava para guardar todas as coisas neles.
Banheiros: Ponto fraco. Isolados dos quartos, era preciso atravessar a sala e cozinha para chegar neles. No meio do frio, sempre complicado. Mas o pior era o chuveiro que, para ficar quente, precisava ser ligado apenas com algumas gotinhas.
Atendimento: Bom, principalmente da menina que faz o turno matutino.
Avaliação final: Ponto forte do hostel é a localização. O bairro da Candelária é próximo de todas as atrações principais do centro e até para subir o cerro Monserrate. O hostel, no geral, é bem estruturado e limpo. A iluminação dos quartos e os banheiros são os pontos fracos.
Localização: Carrera 18, Calle 80-68. Bairro Zona Rosa.
Preço: 25 reais.
Quartos: Confortáveis e limpos, porém pequenos. Difícil ficar se locomovendo dentro deles. Armários também não ajudam muito na hora de guardar as mochilas porque não há número suficiente para todos.
Banheiros: Ficam fora dos quartos, mas próximos. Chuveiros são bons, com água morna. Limpeza mais ou menos.
Atendimento: Durante a noite e madrugada fomos bem atendidos pelos recepcionistas. Mas a garota da manhã é bem chata e fica perturbando para você deixar o quarto pontualmente na hora do check out. Foi bem inconveniente duas vezes. Desse jeito vai espantar hóspedes.
Avaliação final: A localização é boa para as atrações noturnas da cidade, pois fica ao lado das principais áreas boêmias, como a Zona T (área de bares e restaurantes) e o Andrés Carne de Res (restaurante-bar-discoteca mais famoso de Bogotá). Mas fica um pouco longe do centro, onde estão as principais atrações diurnas. A qualidade do atendimento também pesou negativamente, além do fato de que não oferece café da manhã.

 


CALI
Localização: Calle 4, Número 5-43. San Antonio.
Preço: 15 reais.
Quartos: Ridiculamente pequenos. Claustrofobicos sofrerão dentro deles. Parecem caixinhas, com camas coladas em armários. Ventilação nem pensar, só tem porta, nada de janela.
Banheiros: Pequenos e isolados dos quartos. Limpeza ok.
Atendimento: Aí, nem dá para reclamar muito, porque a senhora que é dona do hostel é bem tranquila e atenciosa. Só precisava repensar bastante o espaço e estrutura do lugar.
Avaliação final: Não fique por lá. Mais jogo é pedir para ir para uma pousada que faz parte da mesma administração e fica a poucos metros do Jovita’s, ou procurar um outro lugar. Ficamos nesta pousada e esta, sim, valeu muito a pena. Por falha minha, não peguei o nome, mas basta entrar em contato com o Jovita’s. Um único ponto forte a destacar do Jovita’s são as aulas gratuitas de salsa para os hóspedes, que acontecem ao meio-dia local.

MEDELLÍN
Localização: Calle 49. Número 81a – 24.
Preço: 20 reais.
Quartos: Quartos bons e limpos, com camas confortáveis. Não dispõem de armários individuais, apenas um grande coletivo. Isso pode ser problemático, caso você esteja dividindo o espaço com desconhecidos. Felizmente, não foi o nosso caso.
Banheiros: Eram fora dos quartos, mas ficavam próximos. Chuveiro decente, com água quente. Todos razoavelmente limpos. Nada a reclamar. Cumpriram com o esperado.
Atendimento: Sou suspeito para falar dessa parte, já que a atendente Diana, da manhã, é um fenômeno de gata…rs. Mas tanto ela como os demais recepcionistas são muito atenciosos e explicam tudo o que você precisa. Para quem chega em Medellín, como nós, sem saber muito sobre a cidade, o roteiro detalhado no mapa que eles passam é de grande auxílio.
Avaliação final: O hostel tem boas opções de entretenimento, com guias escritos, outros livros, playstation, jogos de tabuleiro e ping pong. É espaçoso e bem localizado. Fica em uma área residencial bem tranquila em Medellín, a poucos metros de uma estação de metrô. Bom atendimento e estrutura ok. Não tenho muito do que reclamar. Recomendo.

CARTAGENA
Localização: Calle 7, Infantes 9-45.
Preço: 30 reais.
Quartos: Espaçosos e com ar-condicionado, características vitais para suportar o calor absurdo que faz na cidade. As camas são confortáveis e o ambiente é limpo. Em cada beliche há dois armários na parte inferior, onde cada hóspede pode trancar suas coisas. A iluminação deles que não é grande coisa. A luz é bem fraquinha.
Banheiros: Há um próximo da entrada no “corredor dos quartos” que é mais confortável. Os demais ficam na outra ponta, de forma coletiva. Ou seja, uma banheiro grande com vários boxes. Serve tanto para homens como para mulheres. Você pode dar a sorte de sair do chuveiro e ver uma gatinha abrindo a porta do boxe a sua frente ou dar de cara com alguma outra figura horrenda se enxugando. Duchas fortes, com água gelada, que é o que você vai precisar para se refrescar do calor.
Atendimento: Nem ótimo, nem ruim. Adequado, com as infos que você precisa e disposto a responder o que solicitado. Só senti falta daquele clima mais atencioso e vibrante que recebi nos outros El Viajero do Uruguai.
Avaliação final: Sempre recomendo a rede El Viajero porque tive ótimas experiências no Uruguai e em Cartagena o serviço também é de qualidade. Fica bem localizado nessa cidade, perto da muralha e de outros atrativos turísticos. Fora as críticas em algumas questões pontuais, no geral merece avaliação positiva. Ponto forte da rede é sempre facilitar o entrosamento com os outros hóspedes. Nesse item, ainda não vi outro igual.

SAN ANDRÉS
Localização: Avenida Colon, 3-80.
Preço: 100 reais pelo quarto para duas pessoas.
Quartos: Excelentes. Muito confortáveis, limpos, com camas de casal para cada um e com ar-condicionado. Frigobar, TV a cabo e espaço suficiente para guardar coisas e se movimentar dentro do local.
Banheiros: Limpos e bem cuidados, um por habitação. Chuveiro muito bom, com água quente, quase nunca necessária. Amigos que estavam em outros quartos reclamaram da qualidade do chuveiro, mas não tivemos problemas com o nosso.
Atendimento: Muito bom, com simpatia sempre. Ajudam em passeios, dão dicas da cidade, fornecem materiais como toalhas extras quando requisitados.
Avaliação final: Nada do que reclamar. O preço não é tão em conta como dos albergues, mas o Caribe sempre merece algo mais luxuoso, não é? Dentro dessa expectativa, ele atende às principais exigências por um bom custo/benefício. A localização é ótima, a uma quadra da praia. O conforto dos quartos é o ponto alto. Destaque para o café da manhã, simples mas satisfatório.

QUITO
Localização: Pinto E8-24, entre a 6 de diciembre e Diego de Almagro.
Preço: 15 reais.
Quartos: Simples, com camas pequenas. Tem boa ventilação, mas qualidade dos lençóis e cobertores deixou a desejar. Armários não estavam em boas condições, alguns quebrados. Nada que atrapalhe o sono, mas faltou conforto.
Banheiros: Ponto fraco do lugar. Apenas dois atendem o segundo andar e há normalmente uma fila para usá-los. A limpeza deixa muito a desejar. Tomar um banho quente sempre se torna uma missão difícil. Você tem que contar com a sorte do chuveiro funcionar. Para uma cidade fria como Quito, esse detalhe é muito importante.
Atendimento: Ok, sem muito o que reclamar. Ajudam com as infos e mapas, e são atenciosos quando requisitados.
Avaliação final: Um dos mais fraquinhos que ficamos durante a viagem. Quartos não são um desastre, mas estão abaixo do esperado. O clima do lugar é até legal, com entrosamento entre os hóspedes e a localização muito boa, perto de boas opções de transporte e da área boêmia de Quito. Mas os banheiros, a cozinha e o café da manhã são muito ruins. Espaço pequeno, qualidade duvidosa da comida, limpeza ruim e chuveiros péssimos. Há melhores opções de albergues, pousadas e hotéis na mesma rua ou nas adjacentes.

CUENCA
– Posada del Rio (sem site, reserve pelo booking.com ou hostelworld.com)
Localização: Hermano Miguel 4-18 com Calle Larga.
Preço: 15 reais para cada um em um quarto para três pessoas.
Quartos: Bons, com camas confortáveis e ambiente limpo. Ponto fraco para as cortinas que não bloqueiam a luz do sol (vai que você quer dormir até mais tarde) e para o fato de não ter armários para as coisas. Mas como trata-se de uma pousada e a ideia lá não é ficar em quartos coletivos, esse último item pode até ser um exagero da minha parte.
Banheiros: São fora dos quartos, o que em uma pousada poderia ser reconsiderado, mas são limpos e com excelentes chuveiros tanto para um banho frio como para um quente.
Atendimento: Item engraçado para avaliar, pois nessa pousada você se sente em casa. A donas circulam esporadicamente pelos lugares como se fossem hóspedes, o que te deixa totalmente à vontade. Mas estão sempre dispostas a ajudar no que for preciso, com simpatia.
Avaliação final: Bem localizado, perto de restaurantes e mercados. Cantinho acolhedor, que faz você achar que está em casa. Sala com DVD’s, sofás confortáveis, cozinha boa, banheiros bons e ótimo atendimento. Com simplicidade, conforto e limpeza, foi um dos melhores da viagem.

GUAYAQUIL
– Manso Boutique Hostal (http://www.manso.ec/)
Localização: Malecón 1406 y Aguirre.
Preço: 45 dólares, quarto para 3 pessoas.
Quartos: Muito bons. Confortáveis, espaçosos e limpos. Banheiros internos em cada habitação, além de um externo. Ar-condicionado, que é essencial pois faz muito calor na cidade. Armário individual nos quartos coletivos e geral nos quartos duplo e triplos.
Banheiros: Os dos quartos são mais limpos, com direito a banheira e uma ducha excelente. O banheiro externo é bem fraquinho. Lembra aqueles banheiros químicos de plástico que colocam em eventos públicos, além de deixar a desejar na limpeza.
Atendimento: Bom, sem queixas. Atendeu ao que foi pedido, tratamento com simpatia.
Avaliação final: Ótima localização, em frente ao calçadão Malecón 2000 e próximo da principal avenida da cidade, do centro histórico e de outras opções de comércio e entretenimento. Lugar é bem cuidado, com decoração típica e bom atendimento. Iríamos ficar no Hostel Nucapacha, mas optamos pelo Manso Boutique, pois o primeiro era mal localizado e um pouco bagunçado. Fica a dica.

Rafael Cardoso

Carioca da Ilha do Governador, Rafael é formado em Jornalismo. Defende a filosofia mochileira de viagens econômicas, independentes, que respeitam a natureza e as culturas de cada lugar. Adora contar e ouvir histórias desde pequeno. Descobriu que escrever sobre turismo e viagens é uma ótima terapia de vida.

Posts do autor