[dropcap style=”style3″]D[/dropcap]esde que um amigo meu de infância se mudou para Brasília, venho sempre prometendo uma visita e nada de conseguir cumprir. Eis que no início de junho, inquieto de ficar olhando para as paredes do meu quarto, resolvi comprar as passagens “no susto”. Liguei para ele confirmando a disponibilidade e já embarquei no dia seguinte, mais especificamente na sexta-feira, dia 3. Voo tranquilo, chegando no início da noite. Voltaria na tarde do domingo para o Rio, tendo praticamente só o sábado mesmo para passear pela capital do país.

Com esse tempo mais curto, não houve outro jeito se não optar pelos pontos turísticos clássicos, que fazem parte do roteiro político da cidade.Aproveitei o guia/amigo para percorrer os atrativos de carro, o que facilitou em muito a minha vida. Pelo muito que ouvi e percebi neste fim de semana, o transporte público da cidade deixa muito a desejar. Tanto pela condição dos ônibus, quanto pela sua frequência.
 
Depois de acompanhar um ensaio da escola de samba Gigantes da Colina na parte da manhã, separamos a tarde para bater perna pelo Eixo Monumental, onde fica a Esplanada dos Ministérios, a Praça dos Três Poderes, a Catedral Metropolitana e o Memorial JK. Para quem não sabe, o desenho principal da cidade lembra o de um avião. Essa área, conhecida como Plano Piloto, engloba o Eixo Monumental (que seria o “corpo do avião”), a Asa Sul e a Asa Norte (onde ficam residências e estabelecimentos comerciais).

  

SAM_0079Não dá para negar que estar no centro político do Brasil desperta sentimentos diferentes. Olhar de perto as construções onde são tomadas as principais decisões do país é uma experiência legal. Lugares que vemos sempre nos noticiários, acompanhados geralmente de uma entonação mais séria. Raras foram as exceções em que se tornaram palco de uma notícia mais cômica, como aquela cambalhota ridícula do Vampeta bêbado em 2002 na rampa do Palácio do Planalto. Mas também é impossível não lembrar que essas mesmas construções abrigam um bom número de corruptos. Passear pela cidade é uma boa oportunidade para admirar a arquitetura moderna e refletir mais sobre a nossa estrutura problemática de poder.

Enfim, voltando a parte turística, a maioria dos prédios importantes de Brasília pode ser conhecida também por dentro. O Palácio do Planalto é a sede do Poder Executivo, ou de forma mais simples, o lugar onde o presidente trabalha. É aberto ao público aos domingos das 9h30min às 14h. Pelo horário restrito, costuma ser um passeio bem disputado. À direita está a bandeira nacional e o Panteão da Pátria.

Este último foi construído em memória ao ex-presidente Tancredo Neves e aos “heróis” do país. Pode ser visitado de terça a sexta, das 9h às 18h; aos sábados, domingos e feriados das 10h às 18h. Também nessa área fica a escultura dos Candangos, de Bruno Giorgi, uma homenagem aos 80 mil trabalhadores que fizeram parte da construção de Brasília. Quem nasce aqui é conhecido como “candango”, apesar do gentílico oficial ser “brasiliense”.

SAM_0075  SAM_0085

 

Logo em frente ao Palácio do Planalto fica o Supremo Tribunal Federal. Este prédio é a casa do Poder Judiciário, que tem como missão julgar os casos mais importantes do país em última instância. Do lado de fora está a famosa estátua da Justiça, com seus olhos vendados, por supostamente ser imparcial nas decisões. Na prática, sabemos que ela anda meio cegueta, fazendo “vista grossa” a certos interesses políticos e econômicos.

Para conhecer o prédio por dentro, basta aparecer por lá nos sábados, domingos e feriados, entre 10h e 16h30min, saídas a cada 30 minutos.Um pouco mais a frente, em uma posição mais central, está o Congresso Nacional, casa do Poder Legislativo, onde são discutidas e aprovadas as leis na Câmara dos Deputados e no Senado. Esse sim é um lugarzinho complicado. Casos de deputado ou senador aprontando não são nenhuma raridade, sem mencionar que o prédio costuma ser pouco frequentado. Quem quiser conhecer os prédios melhor que muitos políticos, basta ficar atento aos horários de visitação.

Para conhecer a Câmara dos Deputados, visitas abertas de segunda a sexta das 09h30min às 12h e das 14h30min às 16h30min. Sábados e domingos das 9h às 13h.  Para conhecer o Senado, visitas abertas de segunda a sexta das 9h às 11h30min e das 15h30min às 16h30min. Sábados e domingos das 10h às 14h.

SAM_0088

Seguindo mais em frente, na direção de quem sai do Eixo Monumental, estão localizados os prédios dos Ministérios. Dois dos mais importantes são o da Justiça (Palácio da Justiça) e o das Relações Exteriores (Palácio Itamaraty). Do primeiro, que tem visitação liberada de segunda a sexta das 8h às 12h e das 14h às 18h, apenas tirei fotos externas. Interessado mesmo eu estava no segundo, que é o órgão responsável por acompanhar e tratar das relações do Brasil com os demais países e organismos internacionais. Já há um tempo que eu me interesso bastante por questões diplomáticas e Relações Internacionais. Quem sabe um dia não trabalho na área?

SAM_0117

catsPor ora, fiquei satisfeito com a visitação interna e as explicações da excêntrica guia. Ela tinha uns tiques nervosos, falava sempre com uma empolgação meio sinistra, mas cumpria bem a função, com explicações diretas sobre cada sala do prédio. Os mais interessantes foram os salões de recepção às autoridades internacionais, a escada helicoidal (une o térreo ao segundo andar, não tem corrimão e parece flutuar no ar: uma obra de arte) e a mesa onde foi assinada a Lei Áurea pela Princesa Isabel em 1888 (quando teoricamente a escravidão foi abolida no país). A foto da mesa eu acabei tirando escondido, já que não era permitido. Baita frescura, vale a recordação, né? Quem também quiser fazer essa visita interna, anota aí os horários: de segunda a sexta das 15h às 17h; sábados, domingos e feriados das 10h às 14h.

Além dos outros prédios ministeriais, Brasília também tem estruturas políticas que podem ser conhecidas pelo turista. Dois exemplos são o Palácio Buriti (sede do Governo do Distrito Federal) e o Palácio da Alvorada (residência oficial do presidente, onde ele/ela tira uma soneca). Este último não está no Eixo Monumental, fica localizado às margens do Lago Paranoá.

Nenhum dos dois podem ser visitados por dentro. Um outro que não tive a oportunidade de conhecer mais profundamente, mas que deve ser muito interessante é o Memorial JK. Trata-se de um museu dedicado ao ex-presidente que fundou Brasília. Lá estão os restos mortais dele, pertences pessoais e outros artigos importantes da sua vida. As visitas acontecem de terça a domingo, das 9h às 18h.

No próximo post, falarei de outros pontos turísticos que fogem um pouco desse viés político.

– Apesar de ser considerada uma das cidades mais caras do país, a vantagem é que os principais pontos turísticos de Brasília são gratuitos. As visitas internas aos prédios são liberadas, desde que dentro do horário correto. Afinal, tudo foi feito e continua sendo sustentado pelo dinheiro de toda a população brasileira. Então, aproveite para bater muita perna sem precisar se preocupar com as moedinhas.

 – O passeio interno pelos prédios e estruturas políticas exigem um pouco mais de formalidade dos visitantes. Evite usar bermudas, camisas regatas, roupas muito curtas e chinelos nesses lugares. Você pode ser impedido de entrar em alguns ou convidado a se retirar de outros. Para evitar o estresse, só optar pelo básico: calça comprida, tênis e uma camisa com manga. Para as mulheres, há também a opção dos vestidos e saias, mas é bom evitar as peças muito curtas.

SAM_0105

SAM_0152